Caitriona Balfe compareceu hoje (23) ao primeiro dia da Wizard World Chicago para um painel com os fãs de Outlander, uma sessão de autógrafos e sessão de fotos oficiais. Por conta de uma mudança na agenda de gravações de seu novo filme, Ford v Ferrari (título provisório), a atriz só estará na convenção no dia de hoje.

Diana Gabaldon, a autora da série de livros de Outlander, foi a convidada surpresa do painel. A escritora falou sobre o papel dela na série e como ela gostaria de ter feito algumas coisas diferentes, incluindo o início original da quarta temporada, que foi descartado.

Durante o painel, a Caitriona Balfe falou sobre o início de sua carreira como atriz com Outlander e sua carreira de modelo. Ela também disse como estava nervosa em interpretar Claire Elizabeth Beauchamp. A atriz também falou sobre:

Um livro que marcou a infância dela: O Morro dos Ventos Uivantes, de Emily Brontë.

Outlander e a quarta temporada:Eu não sinto que a gente se repete, e isso deixa tudo novo. E para nós, como atores, estamos sempre em um cenário e num mundo totalmente diferente. Essa temporada tem sido muito diferente, acho que é porque muito da Escócia se parece com a Carolina do Norte. Estamos gravando muito na floresta. É seguro dizer isso. Há muitas árvores.

Coisa mais difícil de gravar na quarta temporada: Talvez correr pelo vilarejo e os problemas com os “vizinhos”.

A pessoa que ela teria um ataque de fã, se encontrasse na Comic Con: “Acho o Patrick Stewart muito legal.

Contracenar com Tobias Menzies como Black Jack e como Frank Randall: Tobias é maravilhoso. Começamos a primeira temporada… Na verdade, começamos praticamente a primeira, a segunda e a terceira temporada com cenas da Claire e do France, principalmente. Foi como as temporadas aconteceram. Na primeira temporada, tivémos as primeiras duas semanas de gravação, que foi tão… Tipo, eu estava nas nuvens, tinha acabado de conseguir um emprego fantástico, o sol parecia brilhar todos os dias, depois eu descobri que ele nunca mais brilhou. Nós tinhamos essa história linda e romântica de 1940 que estavamos interpretando. Foi tão bonito e adorável. Aí o primeiro dia que gravamos as cenas de Black Jack e Claire, Tobias não falava comigo. Ele ficava no canto, todo emburrado e eu ficava, “Mas que diabos está acontecendo? Vai se danar!” Mas é incrível o quão diferente é e as diferentes qualidades que ele traz para cada um desses personagens. Para mim, óbvio, eu estava no início da minha carreira e Tobias é um ator com mais experiência. Foi um presente incrível poder assistir alguém que é tão fantástico, aprender, absorver e basicamente roubar muitos dos truques dele. Não, mas foi definitivamente muito inspirador. Ele tem sido um grande amigo e é ótimo tê-lo conosco. Sentimos muito a falta dele.

O momento preferido dela de todas as três temporadas: Tipo, é difícil. Há um monte de muitos bons… Há muitos, por diferentes motivos. Obviamente, a história mais bonita que eu pude contar foi a do episódio Faith (2.07). Foi muito lindo e… Estou tentando, mas é tão difícil, Sam e eu temos tantas coisas ótimas juntos que é difícil de escolher uma coisa só.

A cena menos preferida dela: Lhe direi uma que eu resisti muito. Eu não gostei do tapa na Laoghaire. Porque eu só pensei “Sério? Faremos mulheres brigar…” Eu só achei que a Claire não se sentiria ameaçada. Ela tem o Jamie, ela é uma mulher, aquela era uma jovem garota. Essa foi uma cena que eu briguei contra, mas perdi a batalha, então ela foi para a série.

A abordagem de Claire:No início, de certo modo, foi ótimo, pois eu não fazia ideia. Mas foi muito rápido. No momento em que eu descobri que consegui o papel, eles me queriam na Escócia em três dias e eu consegui dois dias extras, porque eu tinha um gato, um carro, um apartamento… Era um pacote com todas essas coisas… Então, foi tão rápido que, de muitas maneiras, serviu para a história também. A Claire foi jogada nesse mundo, assim como eu fui. E toda a minha pesquisa foi sobre os anos 40, pois esse era o mundo da Claire. Estando no século XXVIII, ela também não fazia ideia, então eu não precisava saber tudo isso. Mas, de verdade, eu não fazia ideia. Se eu soubesse o quanto eu teria que fazer na primeira temporada e o quão difícil seria, eu provavelmente teria ficado apavorada. Fomos um dia de cada vez.” Ela disse que ficou sabendo que havia conseguido o papel semanas após enviar o teste dela. Então, ela fez um teste de química e uma sessão de fotos. Ela recebeu a notícia enquanto jantava com amigos e nem pode comemorar, pois o bebê deles estava dormindo.

Claire e Jamie: Caitriona Balfe falou sobre as mudanças de sua personagem e o quão feliz ela é que Claire é uma heroína e não alguém que sempre precisa ser resgatada. Ela sente que há um equilibrio verdadeiro no relacionamento dela e de Jamie, “Eles são um casal que se provoca, que se salva e, claro, se irrita. Mas é uma visão muito equilibrada de um relacionamento.

Assista 12 minutos do painel de Caitriona Balfe e Diana Gabaldon.

Além do painel, Caitriona Balfe posou para fotos solo ao lado de fãs, acompanhada de Diana Gabaldon e em grupo, com Richard Rankin, Sophie Skelton e Lotte Verbeek

Ao final do dia, a atriz precisou correr para pegar seu voo de volta à Califórnia, onde está gravando seu mais recente projeto. Ela também agradeceu por todo o carinho que recebeu dos fãs durante a convenção, “Dia incrível na Wizard World, em Chicago. Obrigada a todos os fãs que me cobriram de amor e me deram os presentes e cartas mais fofos. E obrigada a @LexiLovesCait e a todos que fizeram esse livro. ❤️❤️❤️ Significa muito para mim. Xxx

Com informações de Third Coast Review.