Dois dias antes da participação de Caitriona Balfe na convenção de Outlander em Nova Jersey, a Creation Entertaiment anunciou o não comparecimento da atriz, devido a mudanças em sua agenda de gravação.

Com a promessa de que falaria por Skype com os fãs, o carinho, carisma e entusiasmo da atriz não decepcionou os presentes no evento: por mais de 40 minutos Caitriona Balfe respondeu a perguntas de fãs com a mesma atenção que responderia se estivesse no palco (o único problema foi a conexão que perdia o som em alguns momentos).

Ao entrar na vídeo conferência, a atriz tentou uma dancinha, para “competir” com seu colega de elenco, Sam Heughan, que também dançou em vídeo.

Veja o que Caitriona Balfe falou sobre:

Como se tornar a Claire e estar em Outlander afetou a sua vida: Ai, meu Deus. Só da maneira mais positiva. (…) Todos são tão solidários e generosos. (…) Ela me deu tanto. Foram tantas grandes aventuras… Tem sido maravilhoso.

Interpretar qualquer outro personagem fictício ou não fictício:Bem, alguém chegou antes de mim… Mas há um livro de Joan Didion chamado ‘The Last Thing He Wanted’ que eu teria adorado fazer. Mas Anne Hathaway vai fazê-lo. Ela é de Nova Jersey e é ótima, então ela fará um ótimo trabalho.

Qual é o seu uísque preferido:Como alguém tem só um preferido? Sendo irlandesa, tenho que dizer… O uísque que eu cresci bebendo foi o Black Laphroaig, que é muito bom… Nossa, existem muitos!

A Claire na quarta temporada de OutlanderAcho que essa temporada teremos uma Claire bastante diferente. Acho que… Eu não sei descrever, ela definitivamente está mais confiante estando onde está… É quase, acho, uma temporada de transição para a Claire, de certo modo.

A sua cena preferida, até agora: “De todas as temporadas? Com o Jamie, é difícil superar a briga no rio. Pessoalmente, para Claire, Faith.” Ela segue dizendo a sua cena preferida com o Tobias Menzies, mas o áudio é cortado. Com Sophie Skelton, há uma na quarta temporada, “Não posso dizer qual, mas é muito legal.

O estresse pós traumático de Claire: Eu sinto muito por qualquer pessoa que teve que passar por isso. Não deve ser fácil. Eu li bastante sobre o assunto e pesquisei para entender que isso apareceu de maneira diferente para as pessoas. Algumas pessoas lidam com esses desafios tão bem no momento, mas é só muito depois que algo o desengatilha em momentos que você não está esperando. Pudemos ver isso com a Claire.” Ela também diz que adora estar em uma série que tem uma conexão com o assunto e que o aborda.

A cena mais difícil emocionalmente de ser gravada: Eu definitivamente acho que o lugar mais obscuro que Claire já esteve foi com o episódio Faith. Acho que essa foi a coisa mais incrível que aconteceu… É algo que afetou muitas mulheres. Foi realmente uma ótima oportunidade de mostrar isso.

O figurino do século XX: Sabe, muito disso é devido aos ótimos trajes e maquiagem, Anitta Anderson faz um trabalho incrível. Acho que o nosso pessoal de cabelo e maquiagem não recebem o crédito pelo trabalho duro que eles fazem, às vezes. Então, Anitta e eu nos divertimos muito criando aqueles looks dos anos 1950 e 1960, encontrando as pequenas diferenças em como as mulheres desenhavam os olhos. Eu amo tudo isso. Eu amo mergulhar nessas coisas de época. Que tipo de filmes a Claire assistiria, que tipos de livros ela leria, que tipo de música ela ouviria? Todas essas coisas ajudaram a criar a vida interna dela.

A sua ligação pessoal com a Claire:Eu acho que isso se desenvolveu e mudou com o tempo. No início, era a minha avó que era a minha ligação com ela, pois ela foi uma enfermeira desde a guerra. E a minha avó faleceu no meio da primeira temporada, mas ela estava muito presente em minha vida. Quanto Terry e eu conversamos, usamos o álbum de casamento da minha avó para tentar fazer o da Claire e do Frank… Essa foi a minha ligação inicial e pessoal com ela. Depois, conforme o tempo passa, minhas experiências e as delas se cruzaram… Essa é a beleza de interpretar uma personagem por tanto tempo.

O que ela e Tobias Menzies faziam para se prepararem para as cenas e para deixar o clima mais leve: No início, escrevemos cartas um para o outro, tipo o Frank, da guerra, e ele as editava. O que foi ótimo… Aquelas marcas pretas… Comigo e com o Sam, temos uma ligação diferente. Com o Tobias… ele gosta de discutir a cena, como faremos isso, se fizermos desse jeito, o que isso significará… E a gente também gosta de beber muito vinho.

Quem está cuidando da Eddie: Eddie está com uma mulher adorável chamada Jessica. Ela gosta de ficar com ela quando estou fora. Jessie tem dois filhos. Acho que Eddie está no céu, ela tem crianças para brincar, muito amor e atenção. Ela nem sente a minha falta!

Gravar as cenas do final da terceira temporada embaixo d’águaFoi muito divertido. As cenas no barco… Foram apenas hilárias. A gente se afogou, ficava balançando, você tentava ouvir… As coisas embaixo da água, tivemos que gravar em um tanque de água. Sam e eu tivemos que aprender mergulhar. Na noite anterior, fomos a um restaurante de sushi e bebemos muito uísque. Ambos estávamos passando mal no fundo do tanque, pondo e tirando a máscara de mergulho, sentindo pena de nós mesmos. Mas é, embaixo da água foi legal! Você fica lá dez minutos e a cada minuto eles vêm e te dão oxigênio e você filma mais uma tomada. Adoro coisas assim, é um desafio legal.

O que ela mais sente falta em gravar com Tobias Menzies e nas cenas com o Black Jack: Eu sinto falta de tudo nele. Somos muito bons amigos. Tê-lo por perto era sempre tão legal. Ele é divertido, é um ótimo amigo. (…) Na primeira temporada eu trabalhei com ele constantemente e ele era (…) um verdadeiro mentor.” Ela diz que as cenas do episódio Garrison Commander (1.06), foi como uma aula de teatro e isso a fez querer ser uma atriz melhor a cada dia. “Sentimos falta dele, mas agora ele estará todo chique com a família real e coisas do tipo.

Os seus trajes preferidos e qual ela gostaria de ter em seu armário: Os trajes são tão ótimos, é difícil escolher um. Claro, os do século XXVIII não são muito confortáveis, então eu não ia querer leva-los para lugar nenhum. Mas eu poderia muito bem pegar todos os meus trajes dos anos 1960. O vestido branco da formatura da Brianna, o preto que eu vesti na homenagem do Frank. Terry me prometeu a blusa e a saia que eu vesti quando ela discute com o Frank, mas eu nunca vi.

A língua gaélica irlandesa, gaélica escocesa e o inglês: Bem, eu nunca tive que falar muito gaélico. O meu gaélico está cada vez mais enferrujado. Mas é interessante o quanto eu reconhecia, pois… Para quem não sabe, há o gaélico irlandês e o gaélico escocês. [na verdade, é a pronuncia da palavra ‘gaelic’ que difere uma da outra] Mesmo havendo muitas similaridades, elas são muito diferentes. Mas era interessante, eu ficava ouvindo o Graham, o Dougal, falar ou o Jamie e eu ficava ‘Oh, conheço essa palavra. Conheço essa também!’

As gravações de seu novo filme: As gravações estão muito bem. Acho que estamos na terceira semana… Que terminou às 3 da manhã da noite passada. Tem muitos carros incríveis, eu nunca tinha visto tantos carros esportivos de 1960 incrivelmente lindos na minha vida. Interpreto essa adorável personagem, Mollie Miles. Ela era a esposa de um motorista muito famoso que correu pela Shelby e pela Ford. Então, trata-se basicamente da Ford desafiando a Ferrari entre 1955 e 1960 na Le Mans, que é uma corrida de 24 horas na França. É emocionante.” Ela diz que um ‘atorzinho’, Christian Bale, também está no filme, bem como Matt Damon.

O que chamou a sua atenção na Claire e em OutlanderNo início, até eu ler o livro… Eu enviei o meu teste, não fazia ideia do que era, eu só sabia de umas duas cenas. Aí, quando soube que eles queriam ver mais, eu fiquei ‘Oh, é uma série de livros.’. Então, fui até a livraria e o li em poucos dias. Eu fiquei impressionada com a força dela, a empatia e a aventura. E isso foi o que me deixou animada e me fez querer interpretá-la. E isso evoluiu com o tempo. Acho que ela é muito mais complexa do que antes.

O traje da Claire da terceira temporada (Batsuit) aparecer na quarta temporada:Ele está morto! O Batsuit morreu, sinto muito.

Ler outros trabalhos de Joan Didion e quem é o seu poeta irlandês preferido:Eu acho que eu li quase tudo o que a Joan escreveu. Eu posso estar errada, mas acho que li. O meu poeta irlandês preferido? Talvez Seamus Heaney. Patrick Kavanagh, na verdade. Porque ele é de Monaghan, onde eu cresci. Ele é alguém que tem um lugar especial no meu coração, também.

Correr outra maratona em breve: Uh, eu não sei. Eu acho que só consegui correr três vezes desde então. Sabe, eu realmente curti. Eu gostaria de fazer de novo, mas encontrar tempo para treinar é difícil. Não sei, veremos.

Qual cena ela teve que refazer mais vezes, pois não conseguia parar de rir: Sinto muito, não sei. Há uma cena (…) que tinha um cara em um macacão vermelho do outro lado… Tipo, eu estava chorando de rir. Eu ri tanto.

Como alguém que se auto intitula a pior motorista da Califórnia conseguiu um papel em um filme de corrida: Eu não sei! Eu não sei. Vamos deixar quieto, pois eu ainda tenho que fazer uma cena dirigindo, com Christian Bale no carro, e eu acho que eles não sabem disso ainda.

O nervosismo ao aparecer em público: Sim! Eu ainda fico nervosa, mas parece que agora consigo… É bobo, mas às vezes você só tem que… Você não pode se importar. Acho que já errei tanto a essa altura…

Quantas tomadas foram necessárias para gravar o episódio do casamento, por conta das risadas:Qual parte?” Quando a Claire conhece o Jamie intimamente pela primeira vez. “Ai meu Deus, isso foi há 5 anos. Eu não sei… A sequência toda… São três vezes que eles se conhecem, sabe?! (…) Tudo está um pouco confuso.

A sua defesa quanto às acusações de Sam de que ela ri constantemente em cena: Ah, ele estava me culpando? É minha culpa? Jesus. Bom, às vezes ele é um ridículo! Sabe, algumas pessoas ficam bravas quando estão cansadas, eu fico boba. É o cansaço.

O jargão médico em OutlanderPor sorte, eu não tenho que fazer cirurgias e todas essas coisas todos os dias. Mas muita das coisas herbóreas e parecidas, eu procuro antes. Se eu vejo coisas no roteiro que eu não entendo, graças a Deus pelo Google, pois eu não sei onde eu estaria 20 anos atrás, 15 anos atrás sem a maravilha da internet. Eu teria que ir à uma biblioteca procurar por tudo. Eu acho que pesquisar é sempre a melhor coisa, pois se você consegue entender, reconhecer, ela virá a você. Você não está só dizendo as coisas.

A história do repolho recheado da primeira temporada de OutlanderSabe, foi um longo dia e Steven [Cree] adora improvisar. Então, ele foi com o repolho recheado e a gente só riu, porque ele é ridículo.

Quem é o seu estilista preferido e quem ela ainda não teve a oportunidade de vestir, mas gostaria: Quem é o meu estilista preferido? É muito difícil! Eu amo Valentino ou Chanel. (…) Quem eu nunca vesti? Acho que eu nunca vesti um vestido da Prada. Eu adoro a Miuccia Prada, ela é uma estilista incrível. É, eu adoro o que ela representa.

Essa ser a vida que ela imaginou, quando queria ser atriz: “Eu tive um momento hoje: eu estava assistindo TV e estar de volta em L.A…. Eu estava aqui seis anos atrás, quando eu fui escolhida para a série, na verdade cinco anos e meio atrás… E eu era uma atriz em dificuldade… (…) E na noite passada eu estava fazendo uma cena com um vencedor de Oscar. Tipo, isso fundiu minha mente! Eu me sinto tão grata por isso. A coisa é, isso só mostra para você que se você tem um sonho… Eu tinha 30 anos quando decidi começar do zero. Então, se você tem sonho, você tem que segui-lo, pois nunca se sabe.

O que fazia ela continuar, quando enfrentava dificuldade: Bem… A ilusão. Não, mas (…) Eu tinha um sonho quando era pequena (…) e era algo que eu sabia que eu podia fazer. E eu só tinha que acreditar que alguém, em algum lugar, me daria uma chance. (…) Continue a trabalhar duro, isso vai valer a pena.

O seu palavrão preferido:Jesus H. Roosevelt Chris é muito longo. Eu gosto de ser direta. Eu prefiro usar a palavra com F.

A sua banda americana e série americana de TV preferidas:Banda americana preferida, a primeira que me veio à mente é LCD Sound System. Série de TV americana? De todas ou…? O que eu tenho no meu DVD no momento é documentários sobre carros. Sabe o que eu… Eu estou atrasada e estou esperando para poder assistir o resto, mas estou assistindo This Is Us e amei.

A atriz agradeceu a todos que estiveram presentes na convenção da Creation Entertainment, “O prazer é meu. Sinto muito não poder estar aí em pessoa, mas obrigada a todos pelas perguntas encantadoras e atenciosas. E sinto muito que o Big Red, Sam Hueghan, ficou me mandando mensagem. Tão rude!!! 😜