Ford v Ferrari foi um dos filmes exibidos no Festival de Cinema de Telluride que aconteceu no final de agosto (30), no Colorado, Estados Unidos.

O longa foi exibido na abertura do festival e não decepcionou: o público do auditório Werner Herzog (que estava lotado) ficou muito animado e ansioso após as intensas cenas de corridas. Alguns até derramaram algumas lágrimas. E, a julgar pela reação do público, o filme é um grande candidato ao Oscar.

A crítica parece ter gostado bastante do que viu. Algumas chegaram até a dizer que este é o filme que muitos adultos precisavam há algum tempo, em meio a tantos filmes repletos de capas e animais de computação gráfica. O diretor William Mangold concorda, “Somos um filme moderno em todos os sentidos da narrativa moderna, da tecnologia moderna e da sensibilidade moderna. Mas estamos tentando fazer algo que eu realmente sinto falta de assistir nos filmes, que é um filme para adultos que é divertido, instigante e comovente, e não está te vendendo mais do mesmo.

A participação de Caitriona Balfe no filme, como era de se esperar, não é muito grande e, mesmo notável, não deve ser suficiente para lhe render alguma indicação na temporada de premiação. No entanto, as apostas para o filme são grandes: fala-se de indicações de Melhor Ator até Melhor Edição de Cinema.

Confira a seguir algumas das críticas do filme que mencionam o trabalho de Caitriona Balfe como Mollie Miles.

(…) No início, Miles, um emigrante britânico, trabalha como um humilde mecânico em Los Angeles, onde mora com sua animada esposa Mollie (uma Caitriona Balfe brilhantemente simpática) e o jovem filho Peter (Noah Jupe). Não é difícil deduzir que Miles não tenha chegado mais longe na vida porque ele é um cabeça-dura temperamental, facilmente irritado e propenso a coisas duras; ele e Shelby entram em uma briga pra valer, em um ponto do filme.

(…)

A dinâmica animada do filme se deve muito à natureza brusca de quase todos os relacionamentos e interações no filme. Miles é energético e imprevisível com todos, exceto com sua esposa e filho; Shelby sempre parece estar cuidando de mais assuntos do que possível a qualquer momento; os exigentes Ford e Iacocca mantêm todos desequilibrados e em seus lugares; e os prazos iminentes e o perigo inerente à própria profissão dão um constante senso de desconforto sobre a mortalidade profissional e pessoal.

Todd McCarthy – The Hollywood Reporter

William Goldman certa vez descreveu ótimas histórias como as que você consegue quando o que você espera que aconteça acontece, mas não como você esperava. Ford v Ferrari não está longe da fórmula deste tipo de história – você sabe quais pontos ela precisa tocar e ela toca. Mas isso nem importa, pois é uma delícia assistir não só as sequências espetaculares das corridas, mas também as cenas mais íntimas com Miles, sua esposa e filho. Mangold não está aqui para exibir ou reinventar a roda, ele está aqui apenas para contar uma boa história.

Com uma bela cinematografia feita por Phedon Papamichael, uma trilha sonora de Marco Beltrami e uma equipe de design de som incrível, somos levados ao mundo dos carros de corrida muito velozes e às mentes de pessoas loucas o suficiente para ficar ao volante. Grande parte da alegria deste filme é simplesmente assistir o filho de Miles (um excelente Noah Jupe) ver seu pai correr. Sua esposa, interpretada por Caitriona Balfe, não tem muito o que fazer, mas provavelmente é a única esposa em um filme como esse que não está desencorajando o marido de fazer a única coisa que ele mais gosta de fazer.

O conjunto de elenco é de primeira qualidade, mas o filme provavelmente pertence a Christian Bale.

(…) Este é o tipo de filme que o público realmente quer ver, mas raramente tem a chance hoje em dia. Uma grande história, grandes cenas, grandes estrelas – e isso tudo deve ser visto em uma grande tela, pois filmes de grandes diretores exigem ser vistos desse jeito, especialmente quando você vê o que pagou para ver: carros rápidos de tirar o folego passando pelas pistas de corridas.

Sasha Stone – The Wrap

Eu prevejo que ele não só se tornará um enorme sucesso de bilheteria de boca a boca para a Fox e a Disney, como também deve entrar com facilidade em várias categorias do Oscar, incluindo Melhor Filme, Melhor Diretor, Melhor Roteiro (para Jez Butterworth, John-Henry Butterworth e Jason Keller), Melhor Edição de Cinema, Melhor Cinematografia, ambas as categorias de Som e algumas de atuação.

(…) Catriona Balfe também está muito boa como esposa de Bale, e suas cenas junto com seu filho (Noah Jupe) têm uma verdadeira comoção nelas.

Um projeto que está em andamento há quase uma década, Mangold e seus roteiristas o decifraram e o fizeram dar certo em todos os níveis, desde as sensacionais e emocionantes sequências de corrida até o fator humano que nunca é perdido de vista.

Pete Hammond – Deadline

O conjunto do elenco se destaca. (…) Como esposa de Ken, Mollie, Caitriona Balfe aproveita ao máximo seu tempo limitado de tela, mas ainda consegue permanecer extremamente memorável.

(…)

Ford v Ferrari é uma máquina habilmente trabalhada. Emocionante em sua construção, com suspense em sua execução e cativante em suas atuações. É um grande concorrente do SAG Ensemble se ele se sustentar e ganhar tanto dinheiro quanto se poderia suspeitar. É um início esplêndido para o início da temporada de premiação.

Clayton Davis – Awards Circuit

O seu colega Miles é um piloto de corrida britânico morando em Los Angeles com sua esposa Mollie (Caitriona Balfe, ultrapassa o seu material) e filho Peter (Noah Jupe, demais) ao seu lado.

Gregory Ellwood – The Playlist

Ford v Ferrari fará sua estreia mundial no Festival de Cinema Internacional de Toronto em 9 de setembro, segunda-feira, a partir das 18:30. Em 10 de setembro, haverá uma coletiva de imprensa transmitida ao vivo no site oficial do festival.

O longa também será exibido no Zurich Film Festival, que acontece de 26/09 a 06/10 em Zurique, Alemanha. Em 10 de outubro, ele estreará no BFI London Film Festival (com o título Le Mans ‘66) no Odeon Luxe, na Leicester Square, em Londres.

No Brasil, o filme está previsto para estrear em 14 de novembro.